CNE elabora documento para manutenção do ensino híbrido após pandemia na educação básica e superior

12/11/2021

 

“A ideia é aprovarmos até o mês de janeiro o conceito de que a educação híbrida ou aprendizagem híbrida não é modalidade”, explicou a presidente do Conselho Nacional de Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, em eventoA presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE), Maria Helena Guimarães de Castro, afirmou que o Conselho prepara um documento favorável à permanência do ensino híbrido para a educação básica e superior brasileira.“Temos uma versão preliminar com capítulos dedicados à educação básica e outro à educação superior. A ideia é aprovarmos até o mês de janeiro o conceito de que a educação híbrida ou aprendizagem híbrida não é modalidade”, explicou a educadora.A afirmação foi feita durante o seminário virtual “Os quadrantes híbridos da educação superior brasileira”, promovido pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), nesta terça-feira, via YouTube.Maria Helena explicou ainda o que considera ser a percepção adequada da educação híbrida mediada por tecnologia.“Não se trata de criar, de regular, uma modalidade híbrida, que deverá obedecer x% presencial ou x% híbrido. Isso não existe. Estamos falando de metodologias que podem ser exploradas dentro ou fora da faculdade”, afirmou.A relatoria do tema está sob a responsabilidade de Suely Medeiros, em relação à educação básica, e de Luiz Cury, sobre o ensino superior. Ela acredita que até o fim de novembro já pode ser liberado o texto para consulta pública.Leia a íntegra: Extra

Créditos: http://www.jornaldaciencia.org.br/edicoes/?url=http://jcnoticias.jornaldaciencia.org.br

Avenida Lins de Vasconcelos, 2334 • Vila Mariana • 04112-001 • São Paulo • SP
Tronco-chave: (0.xx.11) 5084-2482
Filial MG: (0.xx.31) 3285-2977 e 3221-1904 • Filial PE: (0.xx.81) 3221-0700 e 3222-2808
Copyright © 2021 por editora HARBRA. Todos os direitos reservados.