Brasil teve aumento de quase 50% de idosos em universidades entre 2015 e 2019

14/10/2021

 

No mesmo período, alta de ingresso de alunos com menos de 59 anos foi de apenas 7%; 27 mil idosos fazem cursos universitários no BrasilElisabete Logatto finalmente pôde, aos 62 anos, concretizar o projeto de vida que traçou lá na juventude: fazer faculdade. A jovem senhora, divorciada e já com os três filhos criados, se dedica inteiramente às aulas de História. No 5º período da Universidade Estácio de Sá, em Madureira, na Zona Norte do Rio, ela divide com colegas mais jovens os desafios do ensino superior, mas com a experiência e o tempo a seu favor.“Meus colegas trabalham e eu tenho todo o tempo. Então faço os trabalhos de grupo e coloco o nome deles. O que me custa?”, diz Elisabete, com a tranquilidade de domina o campus e, ao mesmo tempo, realiza um sonho.Um sonho já ao alcance de milhares. Hoje, 27 mil idosos fazem cursos universitários no Brasil, segundo dados do Censo de Educação Superior de 2019, o mais recente disponibilizado pelo Ministério da Educação. Mesmo sem estatísticas atuais, a expectativa é de que o fenômeno tenha crescido com a pandemia. Desde 2015 a 2019, o total de idosos em universidades cresceu 48%. No mesmo período, a alta de ingresso de alunos com menos de 59 anos foi de apenas 7%. No ensino a distância, também houve um salto.Veja o texto na íntegra: O GloboO Globo não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra. No entanto, é possível fazer um cadastro rápido que dá direito a um determinado número de acessos.

Créditos: http://www.jornaldaciencia.org.br/edicoes/?url=http://jcnoticias.jornaldaciencia.org.br

Avenida Lins de Vasconcelos, 2334 • Vila Mariana • 04112-001 • São Paulo • SP
Tronco-chave: (0.xx.11) 5084-2482
Filial MG: (0.xx.31) 3285-2977 e 3221-1904 • Filial PE: (0.xx.81) 3221-0700 e 3222-2808
Copyright © 2021 por editora HARBRA. Todos os direitos reservados.